Relação da ansiedade e suicídio


A maioria dos transtornos de ansiedade podem levar à depressão, os sintomas de depressão podem se misturar com os da ansiedade, pois o indivíduo pode estar predisposto a ambas as condições, seja por razões psicológicas, seja por razões biológicas ou química. A depressão vem com uma serie de sintomas como tristeza, falta de energia, perda de interesse, indecisão, autocrítica, arrependimentos, desesperança, irritabilidade, afastamento, mudanças de apetite e perturbações do sono. Os seus sintomas particulares são frequentemente acompanhados por pensamentos negativos específicos sobre si próprio, o futuro e a sua experiência presente.


Separei algumas dicas para lidar melhor com a depressão.


1º Observe seu humor

A depressão pode parecer uma sombra que se coloca sobre a sua vida. Busque identificar em que momento a depressão vem? Quando começa às ruminações sobre sua vida? O que acontece com você está trabalhando, se exercitando ou falando com os amigos?


2 º Agende atividades prazerosas

Você pode sentir que sua depressão torna impossível desejar alguma coisa. Reconheça esse sentimento, mas não permita que ele o paralise. Faça coisas prazerosas para você, mesmo quando não sente vontade. Entregar -se a pequenos prazeres que você pode desfrutar no momento afetará, em última análise, o seu humor como um todo.


3º Fique conectado

Conectar -se a outras pessoas é um grande marco de resistência à depressão. Quando você está deprimido, em geral há a tendência de se isolar. As pessoas que se mantêm conectadas a seus amigos, que desejam interagir, que estão abertas a novos relacionamentos, tendem a se recuperar mais da depressão.


4º Saia de dentro de si

A autoabsorção é um aliado da depressão. Ela o mantém preso nas malhas da autopiedade e do pensamento negativo. Tentar fazer coisas novas e passar por novas experiências é uma boa maneira de romper com essa situação. O crescimento pessoal geralmente não é levado a sério, mas é um remédio maravilhoso para a depressão.


5º Pratique a autocompaixão


Muitas pessoas deprimidas tratam-se como se fossem seu pior inimigo. Que tal você se apoiar mais? Você precisa ter você mesmo do seu lado. Você é um ser humano digno de amor e de compaixão.


6º Examine seus pensamentos negativos

O fato é que nenhuma das suas avaliações da situação é necessariamente verdadeira. Elas são simplesmente pensamentos que sua mente criou e muitas vezes equivocados.


O suicídio é considerado o último resultado da depressão, especialmente quando esta não é tratada. A ansiedade severa e crônica está altamente correlacionada com a depressão, torna -se um bom indicativo do risco eventual de suicídio. O primeiro passo é consultar um profissional treinado que o ajudará a avaliar seu risco de suicídio imediatamente. Quais são suas razões para viver e para morrer? Você já tentou se machucar no passado? Em caso positivo, você acha que de fato queria morrer, ou você, na verdade, queria mandar uma mensagem a alguém sobre seu sofrimento ou livra-se dele? Quando você pensa em suicídio, sente-se como se tivesse de se submeter a tal pensamento ou sente que tal pensamento o está perturbando? Você já planejou se suicidar ou escrever uma carta de suicida? Você já ameaçou abertamente se suicidar? Quando pensa em suicídio, você se sente em uma espécie de transe? Você está tomando os remédios prescritos por seu médico? Você está bebendo em excesso ou usando drogas não prescritas pelo médico? Você consegue prometer que não fará nada para se machucar antes de conversar com um profissional?


Por trás do impulso ao suicídio está a desesperança, seja porque têm sofrido grandes perdas, lutado com seus problemas, autoimagem extremamente ruim. Comece por questionar sua própria desesperança. O tratamento eficaz para a depressão em geral envolve uma série de abordagens, recursos provavelmente você não testou todos. Não deixe de procurar ajuda profissional, você não precisa sofrer sozinho (a). Base teórica e técnicas descritas nos livros "Vença a depressão antes que ela vença você"


do autor Robert L. Leahy e Depressão: Causas e tratamento de Aaron T. Beck, Brad A. Alford.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo