Preocupações produtivas e improdutivas


A Preocupação produtiva é aquela que o ajuda a resolver problemas e conduz a uma ação que se pode realizar no momento. Preocupação improdutiva é aquela que gera uma porção de e-se que não conduz a qualquer ação prática concreta. sugiro que você se preocupe de modo mais eficaz. O importante é ser capaz de determinar quando deve prestar atenção a uma preocupação em particular e quando descartá-la. Aprender a se preocupar de modo mais eficaz envolve três passos: Distinguir as preocupações produtivas das improdutivas. Lidar com a preocupação improdutiva sem usar preocupação. Transformar a preocupação produtiva em solução de problema tão logo seja possível


Decida se é um problema sobre o qual você pode fazer algo neste momento (ou em breve), estas são preocupações que podem se tornar ações agora mesmo ou muito em breve. São preocupações que não continuam sendo preocupações por muito tempo. Preocupações produtivas tornam-se soluções produtivas quase imediatamente. É possível modificar o pensamento para “este momento”, perguntando a si mesmo que providências poderia tomar hoje. Passe rapidamente da preocupação com o problema à busca de soluções. Preocupação produtiva rapidamente conduz à ação. A ação é plausível e razoável. Quais são as ações plausíveis e razoáveis que pode empreender? Primeiro, você precisa definir o problema. Talvez tudo de que precisasse fosse de informação seguida de um plano de ação.


Sinais de preocupação improdutiva


• Preocupar-se com questões sem resposta.

Uma forma típica de preocupação é a ruminação – ficar remoendo inúmeras vezes um pensamento que você não consegue aceitar, o pensamento ruminante como sendo o foco contínuo em questões sem resposta e sentimentos negativos, conduzindo ao isolamento de atividades produtivas e a um maior risco de depressão. Pergunte-se como pode transformar as questões e ruminações em problemas que realmente precisem ser resolvidos. Existe uma questão e ela tem resposta.


• Preocupar-se com uma reação em cadeia de acontecimentos.

Focalizar um único acontecimento – não uma reação em cadeia.


• Rejeitar solução por não ser perfeita.

O que é solução perfeita, afinal? Rejeitar todas as alternativas por não serem perfeitas não garante qualquer solução, absolutamente. Estar preparado para aceitar soluções imperfeitas, considere buscar soluções altamente prováveis ou práticas.


• Pensar que deve preocupar-se até sentir-se menos ansioso.

Não use a ansiedade como guia, a preocupação não é essencial para a redução da ansiedade. Se você se distrair da preocupação e, assim, não ficar buscando informações ou reasseguramento, perceberá redução gradual da ansiedade.


• Pensar que deve preocupar-se até controlar tudo.

Reconhecer o que se pode controlar e o que não se pode, não é necessário a preocupação para estar seguro e confortável pois gera uma falsa sensação de controle e segurança. Isso interfere na abordagem de resolução de problemas, pois talvez você esteja tentando controlar coisas que não podem ser controladas.


Você pode decidir com que coisas vale a pena se preocupar e fazer algo a respeito, e quais são as preocupações improdutivas. Todas essas dicas exigem muito treino, ter consciência do que está acontecendo é o primeiro passo para a melhor.


Para entender mais acompanhe meu podcast: https://open.spotify.com/episode/1xbmTMqkIukjjKxJXInXl3 , conteúdo baseado no livro Como Lidar Com As Preocupações: Sete Passos Para Impedir Que Elas Paralisem Você – Robert L. Leahy

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo