Tratando a Indecisão

Atualizado: 25 de abr.


Estando ou não deprimidos e ansiosos, nossas decisões no dia a dia estão frequentemente baseadas em nossos sentimentos e desconfortos do momento e fazem parte da nossa vida.

Afinal como tomar uma boa decisão:

- Focar nos resultados que se quer atingir

- Aceitar a ambivalência como parte natural do processo

- Dar a si mesmo o direito de decidir de forma imperfeita com informações imperfeitas

- Dar um fim às más escolhas

- Pesar os custos de decidir não decidir e encarar as decisões como experimentos - não escolhas do tipo tudo-ou-nada,

-Experimentar as oportunidades de aprender


Praticar a tomada de decisão pesando os custos de curto prazo em comparação com os benefícios de longo prazo o ajuda a decidir fazer o que é difícil agora para que a sua vida possa ser mais fácil no futuro. Primeiramente para uma decisão precisar ter definição do que queremos. Quais são as metas de longo prazo que estou almejando? Você está tentando desenvolver as suas relações, ser mais eficiente no trabalho, entrar em forma, fazer mais coisas? Então tome decisões com base nessas metas e seus valores.

Desafie sua indecisão, buque tomar decisões com base em seus objetivos e valores, não em como você se sente neste momento. examine as compensações no longo prazo e no curto prazo. Você quer se sentir melhor pelos próximos cinco minutos ou pelos próximos cinco anos?


Quais são seus valores?

O que é importante na sua vida? Quais são suas aspirações? Uma boa ideia é anotar os valores que você quer que orientem sua vida. Eles podem incluir coragem, autodisciplina, honestidade, gentileza, generosidade, paciência, amizade e outros traços de caráter. Se não sabe, quais admira em outras pessoas, que gostaria de desenvolve?


Quais são seus objetivos?

Os objetivos estão relacionados aos seus valores, mas são mais específicos, é recomendável fazer uma lista dos objetivos que deseja alcançar em curto e em longo prazo. Subdivida-os o mais possível em metas para o dia, a semana, o mês e o ano seguinte. Quando você tiver uma decisão a tomar, pense em como isso pode ajudar ou prejudicar o alcance de uma dessas metas.


Não existem decisões perfeitas

Muitas pessoas indecisas sentem-se paralisadas pelo desejo de decidir certo. Elas querem tomar decisões perfeitas que tenham resultados perfeitos, sem incertezas ou arrependimento. Bom esse pensamento é totalmente irracional, pois viver é uma incerteza, corremos riscos o tempo todo, viver é arriscar, qual suas dificuldades em aceitar a incerteza. Ter dúvidas é natural, não ter perfeição, conviver com a incerteza, são ingredientes da vida. A busca pela perfeição pode impedir a sua tomada de decisão.


Quanta informação é suficiente?

Quando você está indeciso, pode estar dizendo a si mesmo: “Preciso de mais informações”. Mas quando começa a colher informações, você frequentemente se envolve em buscas tendenciosas e pessimistas. É importante que você pese as informações positivas e as negativas. É igualmente importante que você saiba quando informações suficientes. Focando na satisfação, em vez de na perfeição, você pode estabelecer objetivos razoáveis e usar o padrão “suficientemente bom” para atingi-los.


Não busque garantia com as outras pessoas

A procura por garantias pode estimular sua busca obsessiva pela certeza, decisões importantes frequentemente envolvem dúvidas. Aceite suas dúvidas e aja mesmo assim, busque encarar as decisões como experimentos. O que vai acontecer se você experimentar isso ou aquilo? reconheça que você pode absorver algumas perdas se sua decisão se mostrar equivocada. Buscar garantias excessivas dos outros. Isso pode impedir que você tome suas próprias decisões. Por fim, contabilize os “custos de procura” e os “custos de oportunidade” da indecisão. Que outras coisas você poderia estar fazendo durante o tempo que passou pesquisando para tomar uma decisão? Que oportunidades está perdendo? Rejeite os “custos irrecuperáveis” – o tempo, o dinheiro ou a energia que você investiu em uma decisão que já não lhe serve mais. Decida seguir em frente.


Base teórica e técnicas baseadas nos livros "Vença a depressão antes que ela vença você" do autor Robert L. Leahy e Depressão: Causas e tratamento de Aaron T. Beck, Brad A. Alford.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo