Como lidar com a falta de esperança

Atualizado: 25 de abr.


A falta de esperança é um dos sintomas mais graves da depressão, a mente foca quase exclusivamente naquilo que é negativo. A falta de esperança é frequentemente acompanhada por uma “estratégia” oculta para evitar a decepção, rejeições, magoas, frustrações que você já viveu durante a vida toda e agora sua mente entra em ação para lhe dizer que o futuro é sem esperança – que nada vai dar certo –, sendo assim, você pode muito bem desistir. Primeiramente faça uma lista das vantagens e desvantagens de acreditar que não existe esperança. Não tente ser excessivamente racional, reconheça que você pode obter algum ganho oculto por acreditar que ela não existe. Depois analise o que escreveu. Por exemplo, se o seu medo de decepção o mantém preso à falta de esperança, isso pode parecer uma vantagem: não ter esperança o protege de ser desapontado quando as coisas não dão certo.


Qual é a consequência dessa crença que não existe esperança?


A falta de esperança é uma regra autorrealizada porque você não experimenta coisas que poderiam fazê-lo sentir-se melhor, desiste se algo é frustrante e não se mantém firme ao comportamento positivo por tempo suficiente para perceber um retorno, não investindo tempo e energia ou iniciar qualquer ação para tornar as coisas diferentes. Você construiu seu futuro sobre a falta de esperança, então ela pode acabar se revelando verdadeira.

Existem duas formas que podemos te ajudar com a falta de esperança

1º Duvidar da sua falta de esperança?

2 º Agir contra a sua falta de esperança? O que poderia acontecer?

Duvidar da sua falta de esperança simplesmente significa reconhecer que você não pode ter certeza plena sobre o futuro. Não é possível que esteja errado sobre a falta de esperança? Agora, o que você faria de diferente se se sentisse mais esperançoso? E se decidisse, agir da forma oposta à que a sua falta de esperança dita? Finja que isso não é impossível. O que faria agora? você poderá descobrir que consegue fazer as coisas tornarem-se melhores não só neste momento, mas também no futuro.


Quais são as suas razões para se sentir sem esperança?


Você provavelmente acredita que tem boas razões para a sua falta de esperança. “Por que você acha que o futuro é tão sombrio?”.


Aja contra a sua falta de esperança.


“Onde eu quero estar?” ou “O que eu quero que aconteça na minha vida?” Eu começo por onde estou e digito para onde quero ir. Você pode fazer isso com a sua vida também, fazendo o sua roda da vida, onde você está em relação a amigos, relacionamentos, saúde, forma física, dinheiro, trabalho, lazer, espiritualidade, aprendizagem e sentimento de eficácia? Certo. Onde você quer chegar?


O que não está perdido?


Algumas pessoas dizem que “tudo está perdido”, parecendo um padrão global e universal – como se nada estivesse bem –, mas essa é uma distorção e um exagero. Se você identificar coisas na sua vida que não estão perdidas, poderá recuperar a perspectiva e redirecionar as suas energias.

Com frequência, sentimos-nos sem esperança quanto a algo que consideramos absolutamente necessário para a nossa felicidade, mas não é. Sua felicidade não depende de uma pessoa específica, um emprego específico, uma realização específica ou uma quantidade específica de dinheiro no banco. Se seu casamento fosse necessário para que você fosse feliz, então você nunca poderia ter sido feliz antes de ter conhecido seu cônjuge. Se seu emprego fosse necessário, então você nunca teria sido feliz antes de consegui-lo. Mas o mundo não é assim. Existem, literalmente, bilhões de alternativas.


Você já esteve aqui antes?


Outra maneira de colocar em perspectiva a falta de esperança é reconhecer que antes achava que tudo estava perdido – no caso uma distorção. Faça uma retrospectiva da sua vida e se pergunte se alguma vez já teve os seguintes pensamentos: • nunca vou superar a minha depressão. • Nunca vou me sentir feliz de novo. • Nunca vou ter outro relacionamento. • Sempre vou ficar sozinho. • Nunca vou ter sucesso. Agora, faça uma retrospectiva da sua vida e examine os fatos. Digamos que afirmou a si mesmo: Nunca vou ser feliz de novo – mas isso foi cinco anos atrás. Você sorriu ou deu gargalhadas desde então? Talvez você ache que as coisas não tenham solução porque pensa que os obstáculos que enfrenta agora são grandes demais para serem superados, mas todos nós superamos dificuldades em algum momento de nossas vidas.

Dicas:

• Precisamos ter em mente que predições não são fatos;

• você pode fazer algo positivo todos os dias; e se pode fazer coisas positivas acontecerem, então não há falta de esperança.

• Você precisa repetir o positivo para obter recompensas; e, mesmo que algumas coisas não funcionem, outras podem trazer resultados.

• Pense nisso como ser suficientemente flexível para progredir,

• Perceba que a falta de esperança não é uma resposta realista à sua realidade,ela é um sintoma da sua depressão.

• Pergunte-se se existe alguma vantagem em se sentir sem esperança. Isso o está protegendo contra a decepção ou ajudando de alguma outra maneira?

• Por que você acha que as coisas não têm solução? Anote as suas razões e depois as examine.

• A sua falta de esperança é uma profecia autorrealizada? Veja se consegue cultivar um pouco de dúvida de que as coisas não tenham solução. Depois, imagine o que aconteceria se agisse como se elas tivessem.

• Pergunte-se o que precisaria mudar para que você se sentisse melhor. Talvez seja um objetivo possível de atingir.

• Quais objetivos não são sem esperança na sua vida? Foque neles e não naqueles que você não pode esperar alcançar.

• Perceba que nenhuma pessoa ou experiência específicas são necessárias para a sua felicidade.

• Pergunte-se se já se sentiu sem esperança antes. As coisas mudaram?

• Talvez você ache que os obstáculos que está enfrentando são grandes demais. Mas quais você já ultrapassou no passado?

• Existem técnicas e medicamentos que ainda não experimentou para combater sua depressão? Não é possível dizer que não existe esperança se você ainda não tentou tudo.

• Experimente um exercício de consciência plena. Você verá que não pode ter falta de esperança em relação ao momento presente – e que pode retornar ao momento presente a qualquer hora


O fim da esperança


Quais razões para você viver? Se a sua depressão dificulta que você realize esse exercício, tente se perguntar: Se eu não estivesse deprimido, quais seriam as razões para viver?

Isso é importante, já que suas razões para viver podem melhorar substancialmente após sua depressão melhorar. Faz sentido tomar essa decisão importante de tirar sua vida em um momento em que o seu pensamento pode estar drasticamente distorcido de forma negativa? Faz sentido decidir quando você não buscou todas as opções disponíveis?

Contudo, se a sua depressão é tão opressora que você se torna um perigo para si mesmo, esse é um momento importante para se voltar aos membros da família, aos amigos e ao seu terapeuta, buscando o apoio de que precisa. Leve a sério seus pensamentos sobre suicídio e discuta-os com seu terapeuta ou alguém próximo a você.

A Esperança nem sempre é fácil. Ela requer trabalho, envolve frustração e se trata de um futuro que você ainda não conhece, mas é real, não uma fantasia ou ilusão.


1. Robert L. Leahy, “Decision Making Processes and Psychopathology,” Contemporary Cognitive Therapy: Theory, Research, and Practice, ed. Robert L. Leahy (New York: Guilford Press, 2004), 116–138. 2. Robert L. Leahy, “Pessimism and the Evolution of Negativity,” Journal of Cognitive Psychotherapy 16, no. 3 (Summer 2002): 295. [Técnicas de terapia cognitiva] Leahy, R. L. Técnicas de terapia cognitiva. Porto Alegre: Artmed, 2006.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo